Para Avançar no Yoga, Ética é Essencial

O Yoga é, e sempre foi uma tradição com profunda base ideológica, e até política, basta conhecer a sagrada história do Mahabharata, na qual Krishna, um dos principais patriarcas do yoga, orquestra, com o guerreiro Arjuna, uma batalha contra um grupo social que oprimia a sociedade.

Para praticar yoga sempre foi necessário que o adepto tivesse profunda afinidade com os 10 princípios éticos de yama e niyama, cujo primeiro é:

Ahimsa – não violência > não ferir nenhum ser intencionalmente, seja por pensamento, palavra ou ação; e o segundo,

Satya– o uso benevolente do pensamento, da palavra e da ação, visando proteger a vida e o bem estar do maior número possível de seres. (Ao término um link para os 10 principia de maneira integral)

Desta forma, quando a pessoa se aproxima da senda dourada da espiritualidade, precisa ter uma inclinação para estes princípios éticos baseados no amor, na compaixão e na solidariedade para com todos os seres vivos. Caso não haja esta inclinação, o avanço para o nível profundo do Ser não se faz possível. Nem o professor transmitirá o yoga verdadeiro para o praticante, como a vibração da linhagem o encorajará a abandonar a prática.

Isto porque as práticas do yoga têm por objetivo aumentar o poder físico, mental e espiritual do praticante para que este possa se posicionar como um pacificador, parando o avanço das forças obscuras da ignorância e da violência.

Não se ensina esta tecnologia de empoderamento para quem tem afinidade com ideais violentos, intolerantes, sectaristas, xenófobos, preconceituosos, discriminatórios, racistas, etc. Hitler praticou yoga e levou milhares de seres humanos ao sofrimento. Este erro não pode se repetir na história da humanidade.

Muitas vezes o instituto de yoga esvazia e quando medito busco compreender a razão, a qual fica sempre clara. Todos podem “começar” a praticar o hatha yoga, e caso as tendencias benevolentes da mente aflorem, estas pessoas terão permissão da linhagem para ir adiante, mas quando, pela força da ignorância (avidya) uma pessoa sustenta suas tendencias violentas, ou mesmo oferece suporte para quem representa a violência, a energia desta mesma linhagem interrompe seu avanço. Talvez a pessoa precise voltar para alguma religião para ser “doutrinado” na lei maior do amor e da compaixão, até que, superando a doutrinação, consiga sentir estas tendencias emergirem naturalmente de suas mentes. Quando isso acontece, as portas do caminho espiritual se abrem novamente.

“Sem Yama e Niyama, Sadhana (prática espiritual), é uma impossibilidade”. Shrii Shrii Anandamurti

Namaskar!
Satyavan Rogério

Leia mais sobre os 10 princípios éticos do Yoga: https://yogasadashiva.com.br/yama-e-nyama/

 

Curta & Compartilhe

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *