Neohumanismo: uma nova definição de ser humano

“Todos os seres deste universo são amigos e parentes uns dos outros. Ninguém é desprezível. Todos são igualmente respeitáveis ​​e têm direito a igual amor e afeição.”

Shrii P.R. Sarkar, que em 1982 lançou o Neohumanismo – a ideia do “sempre novo” ser humano que vive em devoção e cuida de toda a rede da vida.

Princípios Fundamentais do Neohumanismo:

Amor Universal, Ecologia e Sentimento Devocional
O Neohumanismo declara que o amor do coração humano pode ser usado para abraçar toda a criação, incluindo todos os seres vivos e o mundo inanimado. Promove uma consciência da ecologia profunda, em seu sentido mais amplo: isto é, a percepção da inter-relação e interconexão entre todas as coisas, e encoraja o respeito e o cuidado por todos os seres vivos e o mundo inanimado. O neohumanismo pressupõe um contínuo relacionamento amoroso com a Consciência Infinita na vida pessoal e na vida coletiva, através do reconhecimento de cada entidade do cosmos como uma manifestação da Consciência Infinita.

Universalismo
O neohumanismo reconhece apenas o mais amplo sentimento de universalismo, que abarca todas as entidades do cosmos, incluindo plantas, animais e o mundo inanimado. Ele rejeita todos os outros sentimentos dogmáticos, que impõem limitações à mente humana. Entre estes dogmas estão o geo-sentimento, ou seja, sectarismos territoriais (nacionalismo, patriotismo, etc), o sócio-sentimento, ou seja, o sectarismo proveniente de sentimentos relacionados a comunidades ou grupos (bairrismos, regionalismos, etnocentrismo, sentimentos de superioridade religiosa, de clãs ou castas, etc) e também o complexo de superioridade em relação aos outros seres (antropocentrismo) , que coloca em cheque o bem-estar de animais, plantas e outros elementos da natureza, como o próprio reino mineral, por exemplo.

Princípio da Igualdade Social e Senso de Justiça
Há o reconhecimento da igualdade social e propagação da prática da boa vontade e do serviço ao próximo como princípios de vida. Contrário ao Princípio do Prazer Egoísta, aquele em que se busca o próprio prazer e sucesso na vida, independentemente de como as ações afetam os demais indivíduos da sociedade.

Libertação do Intelecto, Racionalidade e Consciência Desperta
O neohumanismo clama por libertar o intelecto das visões dogmáticas e limitantes. Desenvolver uma consciência desperta é o processo mental de estudar e aplicar as funções da mente de forma racional, e ainda utilizar o princípio da igualdade social, considerando se uma ideia é ou não útil para o bem-estar benevolente de todos.

• Mudança Social Revolucionária
Um neohumanista, depois de analisar que um aspecto de mudança social é para o bem-estar coletivo, persegue-o com dinamismo e zelo revolucionário, trabalhando por mudanças positivas no menor tempo possível.

• Luta Contra Pseudocultura
Os neohumanistas desencorajam a “pseudo-cultura” [ou pasteurização cultural] e valorizam a multiplicidade de expressões culturais locais que compõem o todo da humanidade, fomentando a língua, as artes e outras expressões culturais regionais e indígenas.

Espiritualidade como missão
Quando alguém é capaz de fundir o seu núcleo existencial individual com o Núcleo Existencial Supremo [isto é, quando o indivíduo consegue ampliar sua percepção de “eu” de forma a perceber toda a existência cósmica universal como seu corpo maior, como seu Grande Eu], somente então alguém será capaz de ser um Neohumanista no verdadeiro espírito do termo. 

 

Tradução e adaptações de Satyavan Rogério

Publicação original em inglês: https://www.facebook.com/sanskrit108

 

Curta & Compartilhe

2 pensamentos sobre “Neohumanismo: uma nova definição de ser humano”

  1. Eu sou praticante…vivo desta forma em harmonia com todos os seres vivos aos quais amo independente da forma de vida…a vida pulsa em todos os seres deste planeta…

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *