Amor – Verdade – Impermanência : Prema – Satya – Maya

Yoga & Meditação

Amor – Verdade – Impermanência : Prema – Satya – Maya

22 de novembro de 2015 Yoga Filosofia 3
Muito se fala sobre a supremacia do Amor (Prema, em Sânscrito) como a mais alta virtude humana. Dentro da cultura yóguica, todavia, há ainda uma virtude que se sobrepõe e alicerça o Amor, Satya.
Satya, comumente traduzido como Verdade, é a matéria prima do cosmos e da vida. É de Satya que tudo se origina. A raiz desta palavra é Sat, o princípio original da integridade e da unidade universal, o Absoluto. Seu antônio é Maya, Ilusão, que também pode ser compreendido como o princípio da Impermanência que subjuga todos os fenômenos à mutabilidade. Satya, a Verdade, permanece a mesma, imutável, testemunhando com absoluta benevolência o eterno processo de mutação do Universo.
Os yogues buscam se estabelecer em Satya, a Verdade Benevolente. Satya confere brilho e clareza ao Amor, Prema. Sem esta característica translúcida de Satya, o Amor é experienciado como um mero sentimento ou emoção e, mesmo que intenso, não tem consistência em si. O Amor com Satya opera como uma força benevolente e clara, desiludida, sem máscaras. 
Total imersão em Satya ou Sat, a Verdade ou o Absoluto, implica na dissolução do eu individual, o ego, no Oceano Infinito da Consciência Suprema, Brahma – estado conhecido como Samadhi ou Nirvana. No entanto, experiência cotidiana de Prema, o Amor, fluindo pelas correntes da Verdade, Satya, é dotada de transparência e clareza.
A Dança de Maya, a Impermanência
Estando nós imersos em Maya, a Impermanência, sofremos constantes modificações no âmbito do corpo, da mente e das emoções. Com isto, nossas necessidades e capacidades também mudam no decorrer do tempo, do lugar onde nos encontramos, da pessoa em quem nos tornamos e com as outras com quem compartilhamos a vida.
O exercício da auto-observação, da meditação e da introversão da mente confere ao aspirante a capacidade de lançar luz e clareza sobre esta realidade sempre cambiante, Estas mudanças podem gerar instabilidade momentânea, mas a familiaridade com Satya, a Verdade Permanente em si, o tranquiliza e propicia uma rápida adaptabilidade às nuances da vida: sabe que sua verdadeira identidade permanece intacta em Satya. 
Fique Tranquilo e Eu Sou Satya
Tendo atingido no seu desenvolvimento pessoal certa maturidade, consegue tanto aceitar a mudança como livrar-se dos medos, inseguranças e apegos, as raízes fundamentais do sofrimento da alma e liberta-se para viver a experiência de Satya Prema, o Amor Verdadeiro. 
A princípio, sente lampejos desta oitava maior do Amor, intercalados com seus sentimentos e emoções menores. Deixa tudo ser, permite tudo passar, aprende pacientemente a descansar mais e mais em Satya enquanto assisti o espetáculo incansável da dança da Impermanência, Maya, diante de si. 
BABA NAM KEVALAM – Satya é tudo o que há!
Namaskar
Satyavan
Caraguatatuba, 22/11/2015

3 Responses

  1. Unknown disse:

    Muito bonito e esclarecedor. Encontra precisamente o caminho racional e espiritual que vinha buscando. Obrigado!

  2. Marcela Merli disse:

    Permanecer em Satya é um desafio diário… mas vamos lá, um dia de cada vez! Gratidão e Namaskar meu caro amigo!

Deixe uma resposta